Pular para o conteúdo principal

Postagens

Netflix: Hitler's Circle of Evil.

This is the story of the rise and fall of the Third Reich told like the drama it really was: through the personal relationships of the movers and shakers of the most evil regime in history.
They were Hitler’s henchmen — the small gaggle of misfits, careerists and fanatical Nazis who had the ear of the Fuhrer. Those whose job it was to make his brutal vision a reality. Men like ex-chicken farmer and leader of the SS — Heinrich Himmler, Hitler’s adoring but mentally unhinged deputy — Rudolf Hess, fighter ace turned morphine addict — Herman Goering and sex-crazed propaganda chief — Josef Goebbels. As they scrabble for power, they will turn on each other in a murky atmosphere of intrigue, betrayal and murder.
In a regime where all power derives from just one man, they strive to out-do each other in brutality, hatred of the Jews and an unequivocal commitment to the Nazi cause.
https://www.historychannel.com.au/shows/hitlers-circle-of-evil/
Postagens recentes

Folha: Os livros mais vendidos na semana de 11/02 a 17/02/2018.

Teoria e Análise
1º (1º) História da Riqueza No Brasil - Jorge Caldeira (Estação Brasil) - R$ 45,90 2º (4º) Rápido e Devagar - Daniel Kahneman (Objetiva) - 62,90 3º (3º) Marketing 4.0 - Philip Kotler, Hermawan Kartajaya e Iwan Setiawan (Sextante) - R$ 49,90 4º (-) Scrum - Jeff Sutherland (LeYa) - R$ 34,90 5º (-) O Capital no Século 21 -  Thomas Piketty (Intrínseca) - R$ 59,90

Práticas e Pessoas
1º (-) O Poder do Hábito - Charles Duhigg (Objetiva) - R$ 49,90 2º (-) Como Usar a Internet para Alavancar suas Vendas ou Criar um Negócio Digital do Zero  - Érico Rocha (Buzz) - R$ 39,90 3º (-) O Poder da Ação - Paulo Vieira (Gente) - R$ 29,90 4º (-) Os Segredos da Mente Milionária - T. Harv Eker (Sextante) - R$ 29,90 5º (-) Por que Fazemos o que Fazemos? - Mario Sergio Cortella (Planeta) - R$ 31,90

Lista feita com amostra informada pelas livrarias Curitiba, Fnac, da Folha, Saraiva e Argumento; os preços são referências do mercado e podem variar; semana de 11/02 a 17/02; entre parênteses, a posição na se…

Fitch rebaixa nota de crédito do Brasil.

A agência de classificação de risco Fitch Ratings rebaixou a nota de crédito da dívida soberana do Brasil para -BB com perspectiva estável. A nota anterior era BB com perspectiva negativa. Com o rebaixamento, o Brasil se mantém entre os países que não têm o selo de bom pagador.
Segundo a agência de classificação de risco, o rebaixamento deu-se em razão dos grandes e persistentes déficits fiscais e pelo peso da dívida do governo, que segue crescente, além de falta reformas que melhorem o desempenho estrutural das finanças públicas.
A Fitch cita ainda como fator para o rebaixamento a decisão do governo de adiar a votação da reforma da Previdência. Isso "representa um importante revés na agenda de reformas que mina a confiança de médio e longo prazo na trajetória da dívida pública e o compromisso político para abordar o problema". A agência diz, também, que os investimentos caíram para "novos mínimos".
De acordo com a Fitch, o cenário político para 2018 continua a ser um…

The Economist: How Putin meddles in Western democracies - Feb 24th 2018.

Estadão: Sai a reforma, ficam as contas.

Congelada a reforma da Previdência, a vida prossegue, o governo tem de cuidar das contas deste ano e ainda precisa montar o Orçamento de 2019, tarefa especialmente difícil e delicada. Sem a mudança no sistema previdenciário, será preciso planejar um corte de R$ 14 bilhões nas despesas do próximo ano, disse ao Estadão/Broadcast o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira. Para isso será necessária uma revisão mais detalhada e mais severa de cada grupo de gastos. O procedimento seguinte poderá envolver, além da tesourada no dispêndio, uma unificação de programas. Na melhor hipótese, o novo presidente, eleito no fim de 2018, concluirá seu primeiro ano sem violar a meta fiscal ou a regra de ouro, isto é, a proibição de endividar o Tesouro para cobrir parte do custeio. Mas terá de enfrentar os efeitos de uma dívida crescente, a expansão veloz do gasto obrigatório e, de modo especial, o peso cada vez maior das aposentadorias.
Com a redução dos juros básicos, permitida pelo amplo recuo da infl…

Neste tempo de quase candidatos presidenciais, o Ibovespa atinge os 86.686 pontos!

O Ibovespa, principal indicador de desempenho das ações negociadas na B3, bateu hoje, 22/02/2018, mais um recorde nominal ao encerrar o dia em 86.686 pontos, alta de 0,74% em relação ao pregão anterior. O recorde anterior, de 86.051 pontos, foi registrado em 21 de fevereiro de 2018. http://www.bmfbovespa.com.br/pt_br/noticias/ibovespa-14.htm

Adolfo Sachsida na Gazeta do Povo e o Ajuste Fiscal.

“O fato de que muitos políticos de sucesso são mentirosos não é exclusivamente reflexo da classe política, é também um reflexo do eleitorado. Quando as pessoas querem o impossível, somente os mentirosos podem satisfazê-las.” (Thomas Sowell)
De acordo com o Índice de Liberdade Econômica da Heritage Foundation, em 2018, o Brasil tirou nota 7,7 no quesito “saúde fiscal”, em 100 pontos possíveis. Sim, você leu certo: o Brasil não conseguir chegar a míseros dez pontos em 100 possíveis nesse item. O Rio de Janeiro é o carro-chefe da situação fiscal brasileira, já atrasa salários e só não está insolvente graças a recursos do Tesouro Nacional. Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte caminham para a mesma situação. Diversos outros estados e municípios adotam manobras fiscais duvidosas para continuarem honrando seus compromissos. Na União, a situação não é muito diferente: pesados déficits vem pressionando cada vez mais a dívida pública. A conta vai chegar em 2019.
Ajustar as contas…

Brasil, um dos gigantes na corrupção 2018!

O Brasil teve uma forte piora no ranking que avalia a percepção da corrupção no mundo divulgado pela Transparência Internacional nesta quarta-feira. O país caiu 17 posições em comparação ao ano anterior e ocupa o 96° lugar na lista de 2017, que avaliou a corrupção do setor público em 180 países. Na escala que vai de zero (mais corrupto) a 100 (menos corrupto), o Brasil aparece com 37 pontos, três a menos que em 2016.
O país também se encontra na pior situação dos últimos cinco anos. Atualmente, o Brasil divide a 96ª posição com Colômbia, Indonésia, Panamá, Peru, Tailândia e Zâmbia. E fica atrás de países como Timor Leste, Sri Lanka, Burkina Faso, Ruanda e Arábia Saudita.
Desde 2014, o índice de percepção da corrupção (IPC) vem piorando no Brasil, que também deteriorou sua posição relativa a outras nações em desenvolvimento, como, por exemplo, os Brics. O país está agora à frente apenas da Rússia, que alcançou 29 pontos.
https://brasil.elpais.com/brasil/2018/02/20/politica/1519152680_0081…

FGV: PIB 2017 cresceu 1% e atingiu o valor de R$ 6,51 trilhões.

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, cresceu 1% em 2017 e atingiu o valor de R$ 6,51 trilhões, segundo o Monitor do PIB da Fundação Getulio Vargas (FGV). O indicador, divulgado hoje (21), não é um dado oficial, já que o PIB é calculado oficialmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e será divulgado no dia 1º de março.
Segundo a FGV, o indicador cresceu depois de dois anos de retração, com resultados positivos na agropecuária (12,8%), indústria (0,1%) e no setor de serviços (0,3%). Entre os segmentos da indústria, a principal alta ficou com a extrativa mineral (4,5%). A construção teve a única queda dentro da indústria (-5%).
Entre os segmentos dos serviços, o destaque ficou com o comércio (1,8%). Também cresceram os grupos de transportes (1,1%), imobiliários (1%) e outros serviços (0,7%). Tiveram queda os serviços de informação (-1,7%), intermediação financeira (-1,6%) e administração pública (-0,6%).
S…

Evangelist Billy Graham died at the age of 99.

Henrique Meirelles: Agenda econômica para 2018.

Com a impossibilidade de votar a Reforma da Previdência durante a intervenção federal no Rio de Janeiro (por se tratar de Projeto de Emenda Constitucional), definimos em conjunto com os líderes do Congresso uma pauta prioritária de votações de projetos na área econômica. Listo abaixo:
1. Simplificação tributária: Reforma do PIS/COFINS
2. Autonomia do Banco Central
3. Marco legal de licitações e contratos (PL 6814)
4. Nova lei de finanças públicas (PL 295)
5. Regulamentação do teto remuneratório (PL 6726)
6. Desestatização da Eletrobras (PL 9463)
7. Reforço das Agências Reguladoras (PL 6621)
8. Depósitos voluntários do Banco Central (PL 9248)
9. Redução da desoneração da folha (PL 8456)
10. Programa de recuperação e melhoria empresarial das estatais (PL 9215)
11. Cadastro positivo (PLP 441)
12. Duplicata eletrônica (PL 9327)
13. Distrato (PLS 774)
14. Atualização da Lei Geral de Telecomunicações
15. Extinção do Fundo Soberano
A maioria dos projetos já está tramitando no Congresso e são fundamentais pa…

BAFTA 2018: Os vencedores no quase Oscar 2018!

Confira abaixo em negrito a lista completa de vencedores: Melhor filme Me Chame Pelo Seu Nome Dunkirk O Destino de Uma Nação A Forma da Água Três Anúncios Para um Crime
Melhor diretor Denis Villeneuve – Blade Runner 2049 Luca Guadagnino – Me Chame Pelo Seu Nome Christopher Nolan – Dunkirk Guillermo Del Toro – A Forma da Água Martin McDonagh – Três Anúncios Para um Crime
Melhor atriz Annette Bening – Film Stars Don't Die in Liverpool Frances McDormand – Três Anúncios Para um Crime Margot Robbie – Eu, Tonya Sally Hawkins – A Forma da Água Saoirse Ronan – Lady Bird: A Hora de Voar
Melhor ator Daniel Day-Lewis – Trama Fantasma Daniel Kaluuya – Corra! Gary Oldman – O Destino de Uma Nação Jamie Bell – Film Stars Don't Die in Liverpool Timothée Chalamet – Me Chame Pelo Seu Nome
Melhor atriz coadjuvante Allison Janney – Eu, Tonya Kristin Scott Thomas – O Destino de Uma Nação Laurie Metcalf – Lady Bird: A Hora de Voar Lesley Manville – Trama Fantasma Octavia Spencer – A Forma da Água
Melhor ator coadjuvante Christoph…

IPEA: Investimentos terminam último trimestre com alta de 1,7%.

Os investimentos terminaram o quarto trimestre em crescimento, mas o resultado acumulado do ano ainda registrou queda. É o que aponta o Indicador Ipea Mensal de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF). 
Esse indicador é composto pelos investimentos em máquinas e equipamentos, em construção civil e em outros ativos fixos e é considerado uma prévia do cálculo feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A FBCF mostra se as empresas aumentaram ou não os seus bens de capital, ou seja, aqueles que servem para produzir outros bens. Por meio desse indicador, é possível saber se a capacidade de produção do país está crescendo e se os empresários estão confiantes no futuro.
Segundo os dados divulgados hoje (20) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a FBCF apresentou crescimento de 4,2% em dezembro em relação a novembro de 2017, na série com ajuste sazonal. Com esse resultado, o indicador de investimentos encerrou o quarto trimestre com alta de 1,7% sobre o tri…

No Estadão: Affonso Celso Pastore e "O que está à nossa frente?"

O governo Temer se iniciou anunciando a construção de uma ponte para o futuro. Seu objetivo era a criação de condições para a retomada do crescimento sustentado.
Crescem mais os países que mais investem e que elevam a produtividade, mas por que alguns têm sucesso e outros fracassam? Usando a história econômica e a distinção entre instituições extrativistas e inclusivas, Acemoglu e Johnson (Why Nations Fail) mostram evidências de que os sucessos de desenvolvimento sustentado somente ocorrem quando as instituições políticas e econômicas são inclusivas, isto é, voltadas para os interesses da maioria da população, e fracassam quando permitem que minorias “extraiam” permanentemente recursos em benefício de partidos e amigos que apoiam o governo.
O Brasil não chegou ao extremo extrativista que inviabilizou o crescimento de muitos países, mas a política econômica desde o segundo mandato de Lula, e os resultados das apurações da Lava Jato mostram que enveredávamos por esse caminho. Dois exemplo…

Bacen: Estimativa do PIB 2018 em 2,80%.

O mercado financeiro reduziu a projeção de inflação e aumentou a expectativa de crescimento da economia para este ano, de acordo com o boletim Focus, divulgado hoje (19) pelo Banco Central, em Brasília.
A expectativa do mercado é que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) - a inflação oficial do país - fique em 3,81% em 2018, uma redução em relação aos 3,84% projetados na semana passada.
A estimativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, deste ano aumentou, passando de 2,70% da semana passada  para 2,80%.
A expectativa do mercado para o crescimento da economia segue, no entanto, menor que a estimativa do governo, que estima um PIB de 3% para 2018.
Para 2019, no entanto, as projeções foram mantidas em relação à última publicação. Para o mercado, a expectativa é que o PIB do ano que vem seja de 3%. A expectativa para a inflação foi mantida em 4,25%.
O Boletim Focus é lançado no início da semana com a média da…

Bacen: IBC-Br registra crescimento de 1,04% em 2017.

O nível de atividade econômica no país registrou crescimento de 1,04% em 2017, em comparação com 2016, segundo o  Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) divulgado hoje (19) pelo Banco Central (BC).
O indicador foi criado pelo BC para tentar antecipar, por aproximação, a evolução da atividade econômica. Mas o indicador oficial é o Produto Interno Bruto (PIB), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que será divulgado em março.
O valor aproxima-se da projeção do governo para 2017, divulgada em dezembro do ano passado, de 1,1%. A expectativa do mercado financeiro, de acordo com o boletim Focus, do BC, é de 1%.
Em dezembro, o nível de atividade econômica no país continuou a registrar crescimento, de 1,41% em relação a novembro. Esse foi o quarto mês seguido de alta do indicador. O crescimento mensal refere-se ao IBC-Br dessazonalizado, ou seja, ajustado para o período.
O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira …

Bacen: Focus 16/02/2018.

Celso Ming no Estadão: Tranca no bitcoin.

Autoridades do mundo inteiro parecem alarmadas com as portas arrombadas pelo bitcoin e pelas demais criptomoedas. Querem agora providenciar as trancas. Mas não estão seguras sobre o que fazer.
Até recentemente essas criaturas digitais não despertavam mais do que curiosidade – e cobiça. Eram consideradas ou anomalias monetárias ou uma dessas tantas novidades de fôlego curto. Mas, nove anos depois de lançado o pioneiro bitcoin, esse segmento alcança valor de mercado de US$ 180 bilhões, já comparável com o ativo global em diamantes, quantificado em alguma coisa ao redor dos US$ 250 bilhões.
A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, advertiu dia 12 que essas moedas foram beneficiadas pelo vácuo regulatório e se tornaram “sistemas de lavagem de dinheiro e de financiamento do terrorismo”. O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, foi claro durante a reunião do Fórum Econômico Mundial: “Embora encoraje o financiamento à tecnologia e a inovação, que…